Doentes mentais são torturados em Águas Lindas – TV CMN – Canal Municipal de Notícias
Enviado no dia 01/07/14 10:22:05 - Atualizado em 02/03/17 às 12:54:00
Doentes mentais são torturados em Águas Lindas
  • 0
  • 2.600
  • TV CMN

 

Maus-tratos como fome, espancamento, abandono, humilhação e medo, seguidos da falta de remédios, camas, agasalhos, assistência médica, acompanhamento profissional e ainda pagando caro por isso. Gritos de agonia, pedidos de socorro e piedade.

SAM_6699

As imagens falam por si, mas não poderíamos deixar de relatar os fatos que apuramos nessa aterrorizante reportagem investigativa. Mesmo o pouco recurso técnico que tínhamos em mãos, foi suficiente para registrar toda essa falta de humanidade e exploração financeira de doentes mentais. É difícil acreditar que tamanha atrocidade não tenha sido detectada pelos órgãos municipais, que fiscalizam o funcionamento de toda e qualquer atividade econômica dentro de Águas Lindas de Goiás, mesmo porque, recebemos a informação, que recentemente o Serviço Social, levou um doente para este local, como também, internos já foram removidos pelo SAMU em estado grave.

Não bastasse o sofrimento dessas pessoas acometidas por doenças mentais, elas ainda são sujeitadas a aceitar tais coisas como se estivessem sendo “ajudadas”, mesmo pagando pelos serviços de assistência nunca prestados. A ausência do poder público é flagrante, conotando total omissão do município em fiscalizar essas intituladas “CASAS DE REPOUSO”, que se quer colocam placas em suas fachadas, mas que já foram por várias vezes denunciadas, mas nunca ninguém foi lá. Se fosse um caso isolado, escondido no meio do mato, até entenderíamos, mas, são várias casas situadas até mesmo em setores nobres de Águas Lindas de Goiás, que são administradas pela mesma pessoa, conhecida apenas como “doutor Davi”.

Alguns dos internos falam claramente que ali não tem comida e nem remédios. Registramos um deles em crise nervosa por falta de medicamentos, outro amarrado em uma cadeira de rodas e também ficou registrado a famigerada hora do lanche em que serviram pipoca nas mãos deles, e sem ao menos um copinho de suco, “só pipoca”, é isso. Quando foram perguntados sobre pagamento da internação, alguns disseram que seus cartões bancários ficam em poder do “doutor Davi”. Até a água para beber é servida em uma garrafa plástica com um caneco amarrado em um cordão e utilizado por todos os internos. Mesmo sendo dependentes de assistência permanente, os internos passam a maior parte do tempo sozinhos, inclusive à noite. Não existe nenhum tipo de passa tempo e eles ficam deitados na grama, na terra ou dentro das ruínas de uma casa que também é usada para urinar e defecar, pois o único banheiro existente é uma “imundice”, que não tem porta, chuveiro e é insuficiente para o uso de todos os internos. Higiene é um item inexistente tanto fora quanto dentro da casa, onde eles dormem amontoados nas poucas camas e até no chão.

A vizinhança, diz que a gritaria durante a noite chega a assustar, e alguns internos sempre reclamam de agressões e ameaças feitas por quem deveria cuidar deles.

Não chegamos a apurar, mas recebemos denúncias de um possível esquema montado no Hospital São Vicente (HPAP), para contato com as famílias interessadas em internar seus parentes.

O jornalismo da TV CMN agiu com responsabilidade procurando a justiça, a polícia e agora esperamos que a punição não seja somente para a mulher que foi presa, mas também para o poderoso e influente (Doutor Davi), dono da casa dos horrores, que afirmou ter parceria com a secretária de saúde do DF de onde trás a maioria dos doentes.

Texto: Carlos Leal
Imagens: Genislon Macedo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Deixe uma resposta